Oficina de voz e dicção é destaque na 4ª edição do Tá no Papo da Olfato

Por Ribamar Martins

A manhã do último sábado (27) foi pra lá de produtiva. O motivo? Um workshop totalmente voltado para o uso correto da voz e dicção. Parte do ciclo de palestras da quarta edição do ”Tá no papo da Olfato”, evento que tem como objetivo a aprendizagem e a exploração da comunicação em diversas situações, a oficina contou com a presença de estudantes de Jornalismo de diversas Faculdades do Distrito Federal e também de profissionais de diferentes áreas de atuação.

Desta vez, as convidadas para comandar as atividades foram as fonoaudiólogas Ana Carolina e Karen Maria, professoras e especialistas em voz e dicção. Além do trabalho desenvolvido na capital, Ana Carolina e Karen Maria atendem também diversas regiões pelo Brasil afora.  As amigas que hoje trabalham juntas, abriram a oficina contado um pouco sobre o papel de um profissional da voz e alguns de seus objetivos como especialistas da área. ”Um dos nossos papeis, como fonoaudiólogas, é ajudar nossos clientes, mesmo em casos de disfônicos, a se comunicarem bem. Nosso objetivo como profissionais, é trabalhar comunicadores no geral”, declararam as fonoaudiólogas. 

A Dra. Ana Carolina abriu a palestra explicando sobre um novo método que estudam e desenvolvem juntas para a aplicação no dia a dia com os pacientes: o uso correto da nutrição. A médica contou aos estudantes sobre a necessidade de uma boa nutrição, já que tal é grande responsável pela projeção da voz. “O que a nutrição tem a ver com a voz? Tudo! É impossível imaginar a fonoaudiologia sem a nutrição, pois é graças a ela que obtemos os nutrientes para as pregas vocais”, afirmou Carolina.  Além disso, enfatizou também que todos os recursos trabalhados vêm 100% da ciência. ”Há uma grande preocupação por parte nossa, quanto acadêmicas, de aplicar o correto’’, disse.

Foram apresentados também, os métodos mais novos e sofisticados que está em fase de estudos, o ERPN – Enturas, Resistência e Nutrition, e de onde tiramos energia para o músculo da voz. Orientação vocal, condicionamento, resistência, agilidade e flexibilidade da voz, por meio de uma função vocal, ressonância e respiração, são recursos que devem ser explorados por profissionais da voz, de altas demandas, os quais fazem o uso da voz o dia todo, como por exemplo, cantores e comunicadores.

Na Prática

Em clima de distração, as especialistas convidaram os estudantes presentes para um momento de participação e quebra gelo. Os jovens tiveram que se apresentar e se comportar como se estivessem em uma entrevista de emprego, em um grande veículo de comunicação. O intuito do exercício foi verificar em quanto tempo as pessoas fazem o uso correto da voz, tendo como prazo máximo o total de um minuto para que cada um pudesse falar e convencer a doutora.  

Além disso, a oficina teve também a aplicação de cerca de 40 minutos de exercícios práticos e demonstrações de como aquecer a voz. ”Existem hoje diversos elementos que são contribuintes positivos para usá-la ”, disse Karen Maria. A especialista distribuiu para os presentes, recursos usados dentro dos consultórios, como por exemplo a rolha, que é responsável pela abertura de uma boa dicção. 

Algumas ferramentas que auxiliam a voz foram passadas aos estudantes. A maçã, por exemplo, tem o papel de limpar a voz. Já a água, tem o papel fundamental de hidratar e tirar pigarros presentes nas pregas vocais. Se você acha que sprays, gengibre ou derivados são amigos da voz, saiba que não! Esses recursos possuem, na maioria das vezes, efeito anestésico que apenas máscara a dor na garganta, dando sensação de falsa melhora. Além disso, eles podem irritar, prejudicando ainda mais o estado das mucosas, sem contar na viscosidade e na quantidade da saliva as quais são alteradas.

Passados todas as orientações, as fonoaudiólogas pediram para todos se apresentarem novamente, desta vez aplicando tudo que foi trabalhado durante a palestra. O resultado foi de impressionar, a diferença na forma de falar foi perceptível. O estudante da Faculdade Estácio, Eduardo Souza Costa, de 22 anos, participou e contou que a oficina irá ajudar bastante no controle da voz, e também durante a carreira profissional.  ”As técnicas apresentadas foram fundamentais para meu desenvolvimento como jornalista”, afirmou o jovem. 

Rafael Machado, estudante do 1° semestre de Jornalismo na Universidade Católica de Brasília, não ficou de fora e já vem se preparando para o mercado de trabalho. ”A palestra de hoje contribuiu bastante para mim, em momento de entrevistas, por exemplo, eu tenho que saber como me portar”. O jovem que atua em diversos núcleos dentro da Universidade, destaca a importância da atividade em seu currículo acadêmico, “hoje, disciplinas como essas, deveriam estar na grade de ensino do curso de Jornalismo”.

No final, as profissionais sortearam uma avaliação completa e um acompanhamento da voz para os futuros jornalistas. 

Serviço

Quer saber se está tudo certo com a sua voz? Para agendar uma consulta, basta entrar em contato com as profissionais através do e-mail: vocalcoachesspa@gmail.com

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s