Primeiro emprego é tema de palestra na XV Secomunica

Jornalista Alberto Villas contou sobre sua primeira experiência e aconselhou os estudantes sobre o início da vida profissional

Por Aline Brito

O encerramento do primeiro dia da XV Secomunica, evento promovido pelos cursos de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda e Jornalismo da Universidade Católica de Brasília (UCB), contou com a presença de Alberto Villas. Com o tema “meu primeiro emprego: e aí?”, o jornalista e escritor discorreu sobre a sua trajetória na universidade e suas primeiras experiências profissionais.

_mg_9381
Professora Angélica Córdova em um bate-papo com Alberto Villas sobre primeiro emprego. Foto: Jordânia Correia

Alberto iniciou sua carreira no jornal O Estado de S. Paulo, onde era separador de telex,  que consistia  numa rede mundial de endereços numéricos, com terminais únicos que enviavam mensagens escritas para qualquer outro terminal. ”Meu primeiro emprego foi assustador e um grande desafio, pois nunca havia trabalhado em uma redação”, relatou o jornalista.

Após adquirir confiança, teve a ideia de fazer um pequeno jornal, com um compilado de notícias do que acontecia no Brasil, e o destinava aos correspondentes internacionais do Estadão, passando assim, a fazer parte da editoria internacional do jornal. Logo após, teve também a ideia de fazer um caderno sobre variedades, no qual passou seis meses criando o  projeto que, posteriormente, recebeu o nome de Caderno 2.

Seu segundo emprego foi como editor-chefe na Band. “Me senti como se fosse meu primeiro emprego de novo. Era uma experiência totalmente nova, nunca havia trabalhado em televisão, nunca tinha entrado numa ilha de edição.”, afirma Alberto Villas.

Durante sua fala,  o jornalista contou sobre sua passagem no SBT, onde ele tinha liberdade para fazer reportagens ousadas e inovadoras, que fizeram história e acabaram gerando bastante sucesso. Alberto também compartilhou com os participantes sobre sua trajetória de 12 anos na Rede Globo.

_mg_9393
Palestra sobre primeiro emprego no auditório do Bloco K. Foto: Jordãnia Correia

Após ter atestado sua experiência e as mudanças que o jornalismo sofreu ao longo dos anos, Villas afirmou “vocês estão no meio de uma grande revolução, no meu tempo os jornais eram muitos sólidos, a televisão era muito sólida, sempre tiveram verba para fazer tudo. Antes a gente sabia no que queria trabalhar, hoje uma pessoa que entra querendo trabalhar em jornal, por exemplo, não sabe se daqui há cinco anos ainda vai existir o impresso.”

Alberto Villas mencionou que sua paixão pelo jornalismo é baseada em uma prática muito correta, muito cheia de informação e que hoje os profissionais da área encaram um grande desafio, que é o de fazer boas reportagens que prezam pela informação e por boas histórias. “Eu acho que o jornalista tem que ir pra rua, eu luto muito contra o jornalista dentro da redação. Eu acho importante estar do lado de fora, ter contato com as pessoas, é isso que vai gerar boas reportagens, boas histórias”, declarou Alberto.

O primeiro emprego é algo que sempre gera muita angústia nos estudantes e recém formados, ainda mais diante do cenário em que a profissão vive hoje no país e dos desafios que são encontrados. O escritor afirmou que os profissionais chegam no mercado de trabalho sempre muito tímidos, não buscam inovar, não se posicionam, não buscam boas histórias para gerar boas reportagens. “Hoje, o conselho que eu dou para o primeiro emprego, é ousadia”, finalizou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s